Pernambuco

Homem assassina irmão a golpes de tesoura por conta de um cigarro

101Visualizações

Jonathan Gomes Rodrigues foi morto por ter reclamado do cheiro da fumaça na casa da mãe. Suspeito foi preso em flagrante a assumiu a autoria do crime.

Um homem foi assassinado pelo próprio irmão a golpes de tesoura dentro de um conjunto residencial no bairro do Engenho Velho, em Jaboatão dos Guararapes, na Região Metropolitana do Recife. De acordo com informações preliminares da polícia, a vítima, identificada como Jonathan Gomes Rodrigues, teria ido ao apartamento da mãe para montar um móvel quando discutiu com o irmão, Jonas Gomes Rodrigues, de 25, por ele estar fumando em um dos quartos.

Segundo o suspeito, depois disso Jonathan bateu nos fios do computador que ele usava quando fazia a montagem do móvel e os dois entraram em luta corporal. “Consegui sair e peguei uma tesoura. Quando ele veio bater em mim, eu dei os golpes”. Segundo Jonas, o irmão sofreu ferimentos nos braços e no tórax. “Ele tentou correr e caiu. Eu pequei uma sacola, amarrei nele para tentar parar o sangramento e coloquei gelo nas feridas, mas ele começou a passar mal. Eu ainda tentei fazer massagem cardíaca e respiração boca-a-boca nele, mas ele não resistiu”, contou.

 

Foto da vítima: Jonathan Gomes Rodrigues

 

Quando viu o irmão parar de respirar, Jonas saiu do local e se escondeu em uma mata, mas se arrependeu de ter fugido e voltou ao local do crime para se entregar. Ao chegar ao conjunto residencial, a Polícia Militar estava lá e o prendeu.

Segundo o suspeito, a relação dele e de Jonathan era muito conturbada desde que eles eram crianças. “A gente brigava muito, eu jogava pedras nele e já puxei uma faca pra ele”, relatou. Jonathan era o único irmão de Jonas, que assumiu consumir drogas. A polícia ainda não sabe se ele estava sob efeito de algum entorpecente quando cometeu o crime.

Jonas foi levado à Delegacia de Prazeres, onde foi autuado em flagrante por homicídio. Ele deve ser submetido a audiência de custódia nesta sexta-feira para que a Justiça defina se ele permanece preso durante o inquérito que vai apurar o caso.

Deixe uma resposta

dez + oito =