Economia

Reajuste no salário mínimo de 2022 vai influenciar parcelas do PIS/Pasep em janeiro; veja como fica

428Visualizações

O Governo Federal enviou ao Congresso Nacional o Projeto de Lei orçamentária do próximo ano. No documento foi estimado o novo valor do salário mínimo de 2022, com base no INPC. Essa quantia ira influenciar diversos benefícios, como o abono salarial.

De acordo com a estimativa do Governo apresentado no Projeto de Lei orçamentária o salário mínimo de 2022 será de R$ 1.192. Essa quantia passará a vigorar a partir do mês de janeiro. Com isso, o piso nacional irá aumentar R$ 92, já que hoje é de R$ 1.100.

A previsão para o salário mínimo de 2022 considerou o percentual do INPC (Índice Nacional de Preços ao Consumidor) em 8,4%. Esse índice tem como objetivo corrigir o piso nacional garantido o poder de compra dos salários.

O percentual é definido com base nas variações de preços da cesta de consumo da população assalariada com rendimentos de 1 a 5 salários mínimos. Essa é a terceira projeção do salário mínimo de 2022.

A primeira previsão era de um INPC de 4,3%, deixando o piso em R$ 1.147. Porém, depois elevou para 6,2%, com salário de R$ 1.169. A projeção ainda pode passar por mudanças, caso a inflação supere a previsão até o fim deste ano.

O reajuste no salário mínimo impacta cerca de 50 milhões de brasileiros. Entre esses estão os beneficiários e trabalhadores que receberão auxílio-doença, Seguro desemprego, aposentadoria, PIS/PASEP, entre outros.

O PIS (Programa de Integração Social) é destinado aos trabalhadores da rede privada, sendo o pagamento de responsabilidade da Caixa Econômica Federal. Já o Pasep (Programa de Formação do Patrimônio do Servidor Público) é pago aos servidores públicos pelo Banco do Brasil.

Valor do PIS/PASEP em 2022

O valor pago no abono salarial depende do tempo de trabalho exercido no ano base. Sendo assim, a partir de um mês de exercício, o trabalhador já tem direito ao benefício.

Dessa maneira, para calcular basta dividir o salário mínimo por 12 e multiplicar o resultado pela quantidade de meses trabalhados no ano base, ou seja, 2021. Veja abaixo uma simulação baseada no possível piso nacional de R$ 1.192.

  • 1 mês: R$ 99,33;
  • 2 meses: R$ 198,66;
  • 3 meses: R$ 298;
  • 4 meses: R$ 397,33;
  • 5 meses: R$ 496,33;
  • 6 meses: R$ 596;
  • 7 meses: R$ 695,33;
  • 8 meses: R$ 794,66;
  • 9 meses: R$ 894;
  • 10 meses: R$ 999,33;
  • 11 meses: R$ 1.092,66;
  • 12 meses: R$ 1.1192.

 

Fonte: FDR