Agenda Econômica

“Quem quer mais auxílio emergencial é só ir ao banco e fazer empréstimo”, diz Bolsonaro

1.76KVisualizações

O presidente Jair Bolsonaro disse nesta 3ª feira (1º.jun.2021) que o Brasil diminuiu a pobreza com o pagamento do auxílio emergencial e criticou aqueles que pedem mais parcelas do benefício. Deu a declaração a apoiadores no Palácio da Alvorada.

Só 2 países da América Latina diminuíram a pobreza, nós e o Panamá, se não me engano. Você não vai ver isso em lugar nenhum da imprensa. Qual país do mundo fez projeto como o nosso, que foi o auxílio emergencial? Gastamos em 2020 o equivalente a 10 vezes o Bolsa Família. E tem gente criticando ainda, falando que quer mais”, afirmou.

Bolsonaro disse àqueles que pedem para aumentar as parcelas do auxílio emergencial para procurarem os bancos e fazerem empréstimos.

“Como é endividamento por parte do governo, quem quer mais é só ir no banco e fazer empréstimo. Sabemos da situação difícil em que se encontra população, que perdeu empregos não por culpa do presidente”, disse.

O presidente falou ainda que não tem autoridade para conduzir a pandemia de covid-19 no Brasil e voltou a criticar gestores estaduais por adotarem medidas restritivas.

“Se eu tivesse autoridade sobre a questão do covid, estaria diferente o Brasil. Só vou falar isso e mais nada. Eu não fechei nada, não mandei ninguém ficar em casa e não destruí empregos”, declarou.

O chefe do Executivo afirmou que governadores e prefeitos recorreram a essas medidas de forma irresponsável. “Não existe qualquer comprovação científica de que o lockdown evita você se contaminar. Pode atrasar, contaminar até mais tarde, mas você vai fazer lockdown até quando?”, completou.

Locais que implantaram medidas duras de isolamentos viram trajetória de alta de mortes cair em cerca de 3 semanas. Essa foi a conclusão de uma compilação feita pelo Poder360 com dados de 2 Estados –Maranhão e Amapá— e de 3 cidades –Fortaleza (CE), Belém (PA) e Araraquara (SP).

Os locais analisados com melhores resultados foram aqueles nos quais o isolamento permaneceu por mais tempo, apesar da pressão econômica. Foi o cenário em Belém, Fortaleza e Araraquara, onde as medidas duraram mais de 15 dias.

Ainda nesta 3ª feira, o presidente disse aos apoiadores que a Copa América será realizada no Brasil no que depender do governo federal.

Conversei com todos os ministros interessados e, da nossa parte, positivo. O que está havendo aqui? Um movimento da Globo contrário, porque o direito de transmissão é do SBT”, disse Bolsonaro.