Era na casa número 20, na Rua João Miranda, que Jacinta Fidélis da Silva, de 26 anos, e sua cachorrinha “Morena” aguardavam a chegada das equipes do Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) a Felipe Camarão, bairro da Zona Oeste de Natal.

Mas Jacinta foi pega de surpresa por um erro do agente responsável pela vacinação antirrábica. Foi ela quem recebeu a dose no lugar da Morena. Logo em seguida, a dona do animal procurou ajuda médica em uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA).

Jacinta e sua Morena, no bairro Felipe Camarão. Foto: Victor Lyra/TV Ponta Negra

A mulher foi medicada com antídoto, antialérgico e soro. O caso ocorreu na terça-feira (3), mas uma semana depois, ela afirma estar sentindo dores por causa da confusão. “Ele [agente] entrou e pediu para se sentar e segurar a cachorra no colo. Então ele colocou a mão entre mim e ela, foi quando a seringa furou a minha barriga”, explica a dona de casa.

Ainda de acordo com Jacinta Fidélis, as equipes não prestaram nenhum tipo de assistência e recomendaram que ela lavasse a região com água e sabão. A mulher disse ter sentido dores, formigamento e inchaço. Ela contou com a ajuda do companheiro, que a levou para a UPA Esperança.

“Eles deixaram até um papel, que dizia que a cachorra havia sido vacinada, mas não foi porque quem tomou a vacina foi eu. No outro dia eu fui de rua em rua para encontrar um agente e falar sobre o que tinha acontecido”, relata a mulher.

Morena foi finalmente vacinada dois dias depois do incidente e agora vive mais tranquila com sua dona. Jacinta, por outro lado, ainda se queixa de dores e ainda convive com um hematoma na região atingida pela agulha.