Após levantamentos, as equipes da Polícia Militar (Op. Malhas da Lei/ 23°BPM) e Polícia Civil (20°Desec) se deslocaram até a residência do imputado-2, pois havia a suspeita que o imputado-1 estaria homiziado no local, tendo em vista que o mesmo no dia 11/08/2019 tentou matar com disparos de arma de fogo a vítima D.da S. S., sua ex-companheira .No momento em que o policiamento se aproximava da residência flagrou quando o imputado-1 saiu dos fundos da casa e empreendeu fuga a pé em meio à mata, tendo, de imediato, as equipes o acompanhado. Durante o acompanhamento, o imputado-1 chegou a tropeçar e cair em uma cerca de arame farpado, o que lhe ocasionou um pequeno corte acima do olho esquerdo, mesmo assim continuou a correr no intuito de fugir do policiamento, em seguida ele foi alcançado e preso, todavia reagiu à prisão com empurrões, tentativas de socos e chutes. O imputado relatou que chegou na localidade na noite do cometimento do delito, tendo então recebido o apoio e assistência dos imputados-2 e 3. O policiamento indagou o imputado-1 sobre a arma do crime, tendo o mesmo, a princípio, afirmado que havia “jogado no mato”, no entanto, diante das evidências e indícios, depois afirmou que a arma de fogo estava escondida na residência do imputado-3. Nesse momento foi solicitado o apoio das equipes da GT e ROCAM, tendo todo o efetivo se deslocado até a referida propriedade e apreendido um revólver, marca Taurus, modelo Long, cal. 32, com 5 munições do mesmo calibre, marca CBC, sendo quatro intactas e uma pinada. Diante do exposto, a ocorrência foi passada à disposição da Delegacia da Mulher, onde os imputados foram autuados em flagrante delito. O imputado-1 responderá pelos crimes de Tentativa de Feminicídio e Resistência à prisão, o imputado-2 por Favorecimento Real (prestar a criminoso auxílio destinado a tornar seguro o proveito do crime) e o imputado-3 por Posse Ilegal de Arma de Fogo.