Um homem de 27 anos foi preso em Natal (RN) na manhã desta quarta-feira (7) suspeito de pedofilia e estupro de vulnerável. A prisão ocorreu durante a Operação Cálice de Fogo, do Ministério Público do estado.

Foram cumpridos mandados de busca e apreensão e de prisão na casa do suspeito. O nome do investigado não foi divulgado para não atrapalhar o andamento das investigações.

Informações encaminhadas ao Disque-Denúncia 127 do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) e à Delegacia Especial Defesa Criança e Adolescente (DCA ) indicavam que um homem utilizava perfis falsos em redes sociais para atrair as vítimas – sempre adolescentes – e as persuadia a enviar imagens e vídeos íntimos. De posse desse material, passava a chantageá-las, atraindo-as para encontros.

Nesses encontros, segundo a investigação, o investigado cometia os estupros, alguns deles em prédios abandonados ou terrenos baldios. Ele ainda realizava a filmagem das cenas e ameaçava as vítimas caso viessem a denunciá-lo. Um desses vídeos chegou a ser compartilhado em redes sociais e por WhatsApp.

“Potter” era frequentador de igrejas e tinha emprego fixo

No decorrer das investigações, o MPRN constatou que o investigado compartilhava, através de aplicativos de mensagens da internet, vídeos contendo cenas de sexo e pornografia envolvendo crianças e adolescentes. Em um dos perfis, o homem utilizava como sobrenome o pseudônimo de “Potter”. Segundo a polícia, “Potter” era frequentador de igrejas, tinha emprego fixo em uma grande loja de departamentos da cidade.

De acordo com o MPRN, as igrejas serão procuradas para saber se há outras vítimas, tendo em vista que ele era atuante em grupos de crianças e adolescentes. As investigações demonstraram que dentro da rotina dele era constante a propagação de imagens e vídeos com conteúdo sexual infantil. Foram apreendidos celulares e outros equipamentos eletrônicos que serão encaminhados ao Laboratório de Análise Forense para Laboratório de Computação Forense do Gaeco.

A operação foi batizada de Cálice de Fogo como referência ao quarto filme da série do bruxo Harry Potter. A ação contou com a participação de três promotores de Justiça e de agentes do Gaeco, órgão do Ministério Público do Rio Grande do Norte, com o apoio da Polícia Militar.

O MPRN alerta aos pais que a maneira mais eficaz de proteção é a atenção, acompanhamento contínuo e orientação das crianças e adolescentes diante da diversidade de informações as quais são expostas, muitas delas difundidas sem qualquer controle, aliada à falta de supervisão da família.